Conheça a anatomia da base de patins inline

Quando falamos de base de patins inline há vários aspectos a serem analisados de acordo com a modalidade e o desempenho que se quer ter, é ela que garante a ligação entre a bota e as rodas. Suas características técnicas (rigidez, comprimento...) podem variar consideravelmente de acordo com a modalidade que se pratica.


Base de patins com setas mostrando seus componentes.


Uma base de patins é feita de diferentes partes, sendo elas:

- Parafusos

- Furação traseira

- Furação dianteira

- Convés traseiro

- Ponte de reforço central

- Convés dianteiro

- Os lados da base


Um convés dianteiro e um traseiro é onde são fixadas respectivamente a ponta e o calcanhar da bota do patins. Algumas bases você pode deslizar os parafusos nos orifícios alongados da estrutura e fixá-los, outras bases vem com um ou mais orifícios para fixar o parafuso da base. Em muitas bases, o buraco alongado é largo o suficiente para permitir ajustes laterais. A distância entre as furações é medida em milímetros. Os orifícios que prendem a base no patins alguns você pode ajustar de acordo com sua pisada ou modalidade, o ajuste tanto transversalmente quanto longitudinalmente .


Para ter uma base mais resistente, há na grande maioria uma ponte de reforço que se encontra normalmente no meio da base, dependendo do comprimento da base pode ter uma ou mais pontes de reforço.


A base é parte que suporta a bota e onde as rodas são fixadas, ela pode ser feita de diversos tipos materiais como:

Polímeros: poliuretano, nylon (modelos de baixo nível ou infantil, pois suporta menos peso);

Composto: muitas vezes de nylon e fibra de vidro, ou fibra de carbono;

Metal: essencialmente alumínio, mas também podendo ser de magnésio ou titânio, ou até mesmo uma mistura destes materiais.


Os diferentes tipos de bases são classificadas pelo material que são feitas, o modelo e seu comprimento em milímetros, onde podem suportar de 3 até 5 rodas.

A sua composição química e o seu modo de produção e de fixação vão variar, elas podem ser fundida na peça ou em várias partes. Além de diferentes tipos de fixação sendo elas: rebitada, parafusada, moldada em uma única peça ou fixada na bota.


Uma base de plástico ela vai oferecer um melhor conforto durante o uso, pois por ser mas flexível ela absorve mas as vibrações e o impacto, no entanto é menos reativa e a transmissão de energia da passada é menos eficiente, por esse motivo muitas bases de patins infantil são feitos desse material para que as crianças consigam ter controle e não vão muito rápido.


As bases de metal são mais rígidas porém muito mais eficazes, elas têm uma melhor concentração da energia durante a passada, por outro lado ela também transmite todas as vibrações e imperfeições do solo.


Bases de carbono, compostos (que possuem misturas de carbono e fibra de vidro, por exemplo). Elas podem ser mas rígidas do que o as bases de metal dependendo do design, mas em caso de impacto muito forte em vez de se deformarem elas “explodem” (quebram), porém elas têm uma grande resistência ao esforço.


Uma dúvida comum quando as pessoas querem trocar de base sem trocar de bota é em relação ao comprimento da base, a maioria das bases possuem furações específicas, bem como as botas dos patins. Os espaçamentos que é o comprimento da base em milímetro, onde se mede a distância entre a furação do calcanhar e da ponta do pé da base. As furações mais comuns são 165mm e 195mm.


Quanto mais curta a base, mais ágil ela será. Uma base curta é muito usada para hóquei, slalom, agressive e freestyle.

Quanto mais longo a base, menos ágil ela é, porém é mais estável e transmite melhor a energia da sua passada. Essa base é bastante utilizado em patinação fitness, patinação de velocidade e downhill.


Bases Rockeadas

É um ajuste específico das rodas em altura ou em comprimento. Essa configuração só está disponível em alguns modelos específicos. Este tipo de base tem como objetivo melhorar o desempenho do patinador em modalidades específicas como hóquei ou slalom, quando o número de rodas em contato com o solo muda.


Importante prestar atenção sempre que quiser mudar suas rodas, verificar o diâmetro máximo que suporta a sua base, pois há uma diferença importante de acordo com a sua modalidade, o comprimento do seu patins e a marca.

Há marcas hoje no mercado que você pode mudar as rodas colocando diâmetros maiores sem mudar a base, tendo uma base que suporta de 2 até 3 tipos de tamanhos de rodas.


Se ainda tiver alguma dúvida, deixe nos uma mensagem nos comentários. Faça parte de nosso Grupo do Facebook.




0 visualização

Parceiros:

download.png

THAYNE

YAMAMOTO

inline-certification-program.png

2019 | Adreninline | São Paulo - SP