Conheça a modalidade agressive inline - Parte 2

Atualizado: 5 de Mar de 2019

Hoje nossa postagem é continuação sobre a modalidade Street, conhecida usualmente, porém agressive ,é o termo correto à ser utilizado, em que é subdividida em street e vertical, hoje falaremos das categorias existentes, modelo do patins e entrevistaremos o nosso amigo e atleta da equipe Adreninline, praticante da modalidade Bruno Santa mais conhecido como Santa, hoje em dia residente na Áustria.


Atleta - Bruno Santa

- Street, são gaps, giros e grinds executados em obstáculos do cenário urbano como rampas, cantoneiras, corrimões, telhados e escadarias.


- Vert, são as mesmas manobras executadas do street, em Halfpipe (rampa em forma de "U").

- Park; esta modalidade é praticada em pistas especializadas, que possuem obstáculos como mini-ramps, quartes-pipe, funbox, box, corrimãos, rampas de 45 graus, muro para Wall-rides, Canyon, jump-launchers e qualquer outro obstáculos que possam ser utilizados. Tudo isso dentro de um espaço reservado. Existem "Parks" ou "Skateparks" privados e públicos. Um dos melhores "Parks" existentes hoje é o "Woodward Camp" que é a empresa responsável pela construção da maioria das pistas para o campeonato mundial X-Games. Esses "Skatepark's" tem seus obstáculos na maioria das vezes feitos em madeira do tipo "MDF" na camada superior em "Skatepark's" indoor e madeira naval quando o "skatepark" fica a céu aberto. Também é comum encontrar muitos "Skatepark's" de concreto com a superfície em "Cimento queimado" o que o torna mais liso e mais aderente para as rodinhas adequadas para manobras.

Modelo de patins Street É o modelo mais robusto de todos, aguenta grandes impactos, sua base possui duas rodas nas pontas menores e de perfil baixo, o que garante maior estabilidade nos saltos, no centro da base existe um bloco maciço usado para deslizar os patins em corrimões, este bloco garante maior durabilidade da base durante as manobras.


- Soul plate O soul plate é a placa que permite a realização dos encaixes em quinas e canos, graças aos plates pode-se deslizar fazendo manobras.

- Back Slide O back slide é a concavidade que fica no meio do patins entre os plates da frente e de trás, certas manobras só são possíveis com essa concavidade que se prende ao corrimão após o pulo. Em alguns modelos de patins o back slide é separado do soul plate e em outros juntos.

- H-Block O h-block é o meio da base, essa região é de muito contato em todas as manobras, o desgaste nesta área é muito grande, esse bloco no meio deixa a base mais resistente não deixando que se quebre facilmente, alguns modelos de base tem o hblock freestyle, esse tipo de block toma todo o espaço da base não permitindo a utilização de rodas no meio.

- Shell É o esqueleto do patins, a parte principal onde se prende todas as outras e onde fica o cadarço.

- Cuff É a parte que envolve e segura o tornozelo.

- Liner É a bota interna, e os patins de street são famosos pelo seu conforto isso graças aos liners muito bem desenvolvido e acolchoado.

Hoje conheceremos também um pouco mais da história do nosso amigo e atleta Adreninline no mundo da patinação.


Quando começou a patinar? Em 28 de outubro de 199 meu aniversario de 8 anos, dia que comecei a patinar. Ganhei de presente da minha avó um patins verde que na verdade era uma base de plástico com um encaixe para tênis de rodas paralelas da marca Big Jog.

O que te levou a praticar este esporte? Eu tive um skate mas me lembro que eu quase não usava ele, mas eu realmente não gostava, nessa época eu disse pra minha mãe que eu queria um patins, eu me lembro que ela comentava que andava nos tempos de adolescente, fiquei com vontade, foi então que acabei ganhando o patins da minha vó no meu aniversário.

Porque escolheu a modalidade street inline? Eu pratico na verdade várias modalidades de inline, faço Downhill, Speed, Half pipe e Street, o street acabou sendo minha escolha pela facilidade pra treinar, por sorte tenho uma pista a 13 km de casa (na Áustria), onde passo minhas horas vagas treinando pra competições e para vídeos de street. O patins street como outras modalidades do patins, exige muita concentração e domínio do medo para aprender novos e aperfeiçoar se na técnica, eu gosto porque não e fácil e porque é uma ótima terapia para o corpo e para a cabeça.

Você participa de campeonatos desde quando? Quais os campeonatos que mais marcaram? Eu participo de campeonatos de patins desde 1999, o primeiro foi o ASA – Agressive skaters association que aconteceu na antiga Rollerbrothers, esse marcou muito. Um outro foi campeonato de Teutonia Downhill 2007, a ladeira mais rápida do mundo, eu sou muito feliz por ter participado, foi muito difícil pois tive que construir meu equipamento pra descer a ladeira por falta de suporte e patrocínio, a ladeira é insana, passar de 100 km em cima de um patins e demais, meu tempo no meu GPS deu 116km, utilizei um patins feito em fibra de vidro, uma base de alumínio adaptada de um patins antigo da traxart chamado Speed, rodas de 80 mm da traxart e um rolamento abec 9 standard modificado por mim, demorei 6 meses entre testes e desenvolvimento deste rolamento, por isso Teutônia a ladeira mais rápida do mundo marcou pra mim. Mais recentemente o Winterclash 2015, o maior campeonato de patins Street do mundo, dedicado apenas para o patins Street que reúne milhares de pessoas e o ápice, marcou muito e ainda marca, já e o minha quarta vez no Winterclash.

Qual a dica você daria pra quem quer começar a praticar o esporte? O patins, independente da modalidade oferece uma liberdade sem comparação, uma grande dica e tentar sempre aprender o básico primeiro e com equipamentos de segurança e o mais importante de tudo quando sair pra patinar não esqueça de dar tempo ao tempo e ir devagarzinho aprendendo os movimentos.

Onde você pratica o esporte? No inverno austríaco em um parque chamado WUB halle, no verão faço muito street skating, alem de curtir corrimao também utilizo o meu patins de speed como meio de transporte e patino ida e volta 70km para o trabalho em torno de 1 ou 2 vezes por semana como treinamento de cárdio, e o downhill aos fins de semana sempre que dá. Patino mais ou menos 5 dias por semana de 8 a 12 horas por semana.

Como foi sua experiência no Winterclash e Summerclash? O winterclash e a maior competição de patins de street do mundo, além de reunir o maior numero de pessoas só para o patins reúne em um só lugar, em Edinhofen – Holanda área 51 Skate park os maiores e melhores patinadores do mundo em 4 dias de muitas manobras. A vibe da galera e de outro mundo a motivação e a expressão de alegria tanto do publico quanto de nos que competimos e nos apresentamos e algo inexpressável com palavras. 90% das manobras deixaria qualquer um de queixo caído, e uma loucura. O summerclash, realizado pelo mesmo organizador do Winterclash , e um Festival de patins que ocorre em Berlin. Apesar de ser também competição e reunir os melhores do mundo em 4 dias de camping no Melow Park – Berlin/ Alemanda, esse evento é mais uma confraternização entre os bladers mundiais. Os dois eventos reúnem algo entre 35 e 40 distintas nacionalidades, e uma torre de babel estar lá no meio.

Agradeço aos colaboradores da Adreninline pelo espaço, e espero poder colaborar sempre falando um pouquinho da patinação.


55 visualizações

Parceiros:

download.png

THAYNE

YAMAMOTO

inline-certification-program.png

2019 | Adreninline | São Paulo - SP