Histórias de como a patinação transforma vidas e melhora a saúde

Atualizado: 5 de Mar de 2019

Como muitos já sabem a patinação é um ótimo exercício pra saúde, de acordo com pesquisas da área médica, a patinação inline está em 3º lugar no ranking das atividades que melhora ou mantém o condicionamento físico e bem-estar geral. Patinar a 20 Km/h, um patinador chega a queimar 6 calorias por minuto, ou 360 calorias por hora.


Com isso a patinação e suas modalidades têm crescido bastante, dentre elas está a patinação de velocidade inline que tem se tornado cada vez mais popular no mundo todo, tanto a nível recreacional quanto competitivo, sendo disputada nos Jogos Pan Americanos, em competições mundiais e provas regionais ou até amadoras.

No início do mês, aconteceu o 6º Campeonato Gotcha de Patinação de Velocidade. E atraiu vários públicos e muitos atletas amadores e iniciantes nessa modalidade. Alguns desses atletas iniciantes na patinação de velocidade nos relataram um pouco de suas historias na patinação e como foi à experiência no primeiro campeonato de velocidade indoor (pista fechada).

Roberto Marinho, 53 anos, formação em jornalismo, marketing, administração de empresas e neuropsicopedagogia, mas, atuando como diretor de contas, na PPI Worldwide -  em empresa multinacional do segmento de promoções. Comecei a patinar aos 32 anos, por convite da amiga Jane Brunini Ferreira que levava as filhas à Ocean Drive - Shopping Eldorado. Quando dei por mim estava na primeira volta. Amei. Percebi que seria algo que gostaria fazer pelo resto da vida, além de  ser um simples jogo de manobras. Patinei por uns três anos somente. Neste ano, em março, o coaching da academia que frequento me disse ter comprado um par de patins para a namorada e skate para ele e, que, estavam se divertindo no Parque Vila Lobos. Fui ao Vila  com meus patins e para minha surpresa, encontrei várias tribos....mas, me chamou atenção a equipe do Professor Marcel Lionese. Conversamos e retornei ao esporte em abril deste ano. Parei de sonhar (risos). Soube do Sexto campeonato Gotcha de patinação de velocidade. Meu professor, Marcel, também, organizador do evento convidou-me para participar na categoria fitness/iniciante. Mais que depressa, aceitei, acreditando que só iria para ver mesmo, mas tive a grata surpresa disputar  e levei a medalha de prata dentro da minha categoria. Gostei muito do evento, achei muito bem organizado e bastante representado com os principais atletas e equipes de todo Brasil. Foram dois dias de muita emoção. Agora, estou me preparando para as próximas provas no Brasil e fora do Brasil. Percebi que tenho mais medo de me acidentar, do que era no passado. No entanto, mesmo assim estou encarando agora como um esporte, que poderá me acompanhar enquanto for possível.


Heitor dos Santos Pereira, 22 anos, Analista de Segurança da Informação Junior. Patino a mais ou menos 7 anos, escolhi patinar pois fui incentivado por um amigo, no começo não tinha muito interesse mas com o tempo fui pegando gosto e desde então patino. Resolvi participar do campeonato tanto por incentivo dos meus companheiros de treino como a vontade de participar deste evento, participei da categoria iniciantes de patinação de velocidade, e sem dúvidas foi incrível! A experiência obtida com outros patinadores sem dúvida é muito enriquecedor, com certeza participaria de outros eventos deste porte. Nunca havia participado, não tive receio, muito menos medo, mas que deu um grande nervosismo isso deu! Faço parte da equipe Adreninline cujo qual eu treino sempre, embora eu ainda esteja engatinhando na modalidade de velocidade.


Julio Cesar Silva Alves, 38 anos, Técnico eletrônico. patino há quatro meses e sempre tive vontade patinar mas nunca tinha tido meios, resolvi participar do campeonato para testar meus limites no patins, participei na categoria fitness iniciante e fiquei em primeiro lugar. A competição foi muito empolgante e se eu estiver dominando melhor a patinação vou ao próximo campeonato, tinha medo de cair durante as provas e acabei caindo duas vezes (risos). Faço parte da equipe Adreninline. Quando eu estiver melhor nas técnicas de patinação pretendo participar de outros campeonatos.


Monica Cardoso Pereira, 33 anos, professora. Patinei durante minha pré-adolescência, naquela febre dos anos 90, mas quando ingressei no Ensino Médio parei de patinar, voltei a somente agora, em fevereiro desse ano. Me interessei em participar do campeonato primeiramente para poder estar em contato com a galera que possui técnicas mais avançadas, em segundo lugar pela vontade de superar limites. Me impus uma meta e fui atrás: queria ver se dava conta de dar às voltas sem cair e isso aconteceu! Participei na categoria Fitness iniciantes, achei muito legal, com certeza participarei dos outros. As provas estavam bem organizadas e os competidores de altíssimo nível, me deu muito mais vontade de comprar um patins melhor e prosseguir no esporte. Participo da Equipe Adreninline e creio que à medida que eu for melhorando possa ter vontade de participar de outras competições sim, por enquanto ainda tenho muita coisa pela frente, vou focar na aprendizagem das técnicas.


Erickson Diego de Almeida Leite, 29 anos, Gestor Financeiro na empresa Doctor X Radiologia. Patino a dez anos sendo que boa parte desse tempo patinando na minha juventude aproximadamente uns seis anos e retomando com o esporte agora na fase adulta por aproximadamente 4 anos de muito patins. Escolhi o patins como meu esporte a principio por lazer e fitness, para melhorar minha qualidade de vida. O que me levou a participar do campeonato Gotcha foram meus amigos, que ao notarem um possível potencial me incentivaram a participar. Participei na categoria principal individual e nas categorias revezamento e team pursuit por equipes. Gostei muito de ter participado do campeonato, onde fiquei muito feliz e surpreso com meus resultados, e também a atmosfera foi fantástica recebendo a todo o momento palavras de apoio e incentivo dos atletas e dos organizadores do evento. Experiência única e indescritível, onde pretendo participar de outros eventos "campeonatos" como este que passou. No início por estar inscrito na categoria principal fiquei com muito receio de andar e acabar indo muito mau nas provas, mas com o desenrolar do campeonato fui ganhando confiança, tranquilidade e força para conseguir me superar e fazer um excelente campeonato. Treino com a equipe Vipers Patins, formada basicamente por familiares e amigos próximos. Após este último campeonato ganhei muita força para seguir treinando e futuramente pretendo voltar participar de novos campeonatos, e tendo como sonho de consumo participar da Maratona de Berlim, na Alemanha sendo esse um dos principais campeonato da patinação de velocidade mundial.

Vimos alguns exemplos que nunca é tarde pra iniciar na patinação, como também não é tarde para leva-la como um esporte excelente que é, se aventurar nas competições e superar seus próprios limites.


E você tem alguma historia parecida?


3 visualizações

Parceiros:

download.png

THAYNE

YAMAMOTO

inline-certification-program.png

2019 | Adreninline | São Paulo - SP